“Nem só de marcas vive o homem…”

written by Hellen Grasso março 18, 2013

foto (59)

Quando eu penso em alguém que entende de moda, não penso em blogs de meninas que acham que acordam perfeitas, de batom impecável, pele de porcelana, com o cheiro de chanel 5 e com o sentimento que está andando pelas ruas da Mayfair. Eu gosto mesmo é de pessoas que podemos passar horas conversando sobre o que a história trouxe de inspiração, que tem humildade pra ensinar. Então vamos conhecer um pouco mais da moda britânica e entender o que grandes marcas como Christian Dior nos proporcionou (e proporciona) nos dias de hoje…

Fui em busca de mais conhecimento no Victoria Albert Museum onde o museu abriga peças de moda desde o ano 1750 até os dias atuais. Irei dividir cronologicamente os posts e alternar com outros para não ficar tedioso. Ready?

1750

 

A moda da corte era caracterizada pela extravagância e a maioria dos tecidos eram de seda (sendo a francesa mais procurada). Passar dos tempos os britânicos começaram a produzir a sua própria seda baseada em estampas de flores inglesas. A busca pela formosura do corpo da mulher era extrema e surgiram os espartilhos para manter a coluna ereta e as famosas “Hoop petticoats” (saias com aro anágua) que são feitas com ferro ao redor para dar volume e dureza para os vestidos ou saias de tecidos finos colocados por cima. O tecido bordado nas pontas indicavam sinal de riqueza, sendo usado só em ocasiões especiais. Era uma época de elegância e até as crianças vestiam espartilhos, o que foi questionado por vários médicos sobre a saúde dos pequenos (o que não fica muito longe da nossa realidade sobre essa perfeição da beleza tão precoce, os anos mudam, mas os desejos sempre foram os mesmos).

Os corpetes eram feitos com ossos de tubarão mas com o tempo a silhueta feminina ficava cada vez mais perfeita e mais fina com os espartilhos feitos à mão, a saia foi reduzida e a cintura ficava mais alta. Eram colocadas almofadas abaixo da cintura da saia para ajudar a preencher a junta na parte de trás do vestido. Começa a revolução francesa e os espartilhos ficaram levemente desossados e geralmente feitos somente de linho…

Sinceridade? Eu AMO essa época…

Deixo com vocês as fotos que tirei por lá xx

[nggallery id=28]

 

 

Comments

comments

You may also like

Leave a Comment